segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Hora de ouro

O relógio parado no pulso.
De ouro, o relógio,
mas estava parado.
Não sabia dizer as horas.
Era de ouro,
mas nada dizia,
nada me disse.
Em outro pulso que não o meu.
Se fosse meu, o pulso,
o relógio não estaria parado.
Talvez o pulso,
mas nunca o relógio.

Costura o órgão

corta, abre, costura e fecha
mas não fecha tão bem
que é pra poder abrir
se de repente eu amar

Little chaos

Eu sei bem as consequências disso tudo, e eu não consigo deixar de achar lindo o pequeno caos que estamos criando.

Dezessete de junho de alguns anos atrás

Abri a caixa depois de quatro anos que eu a mantive fechada.
Cartas, bilhetes, desenhos
e algumas lágrimas que você colocou em um papel de seda.
Encontrei aquele nosso mundo, tão antigo, tão distante.
Não há nada que eu mudaria daquelas risadas
no corredor, naquele terraço secreto,
naquele jardim de outra casa: a gente só sabia rir
do mundo dos outros.
Um dia eu cresci demais para aquele casal que éramos.
Eu e você,
ficamos naquela caixinha azul.

Quando aperta

O silêncio do seu quarto está ficando alto demais, estou quase gritando o seu nome para ninguém.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Assim

Quando eu fico assim, o melhor a se fazer
é apagar a luz.

Eu não escrevi

Uma vez eu escrevi um livro.
Na verdade não era bem um livro,
era um conto.
Se é que pode se chamar de conto,
estava mais para poema.
Acho que nem poema.
Uma vez eu escrevi um troço,
mas eu joguei fora.

Aralc Airam

O meu nome ao avesso
ainda é o meu nome?

Quem vai querer

Estou apenas aguardando
que partam o meu órgão vital
inteirinho
em pedaços diferentes
Quero distribuí-los por aí
um a um
Quero só ver quem vai querer.
I'm losing you
inside of me.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Retrato do passado

Aquele retrato do passado que ficamos vendo
Você com frio, eu com aquele sentimento de domingo
Você me explicando
"As estrelas estão mortas"
O seu frio aumentando
E o meu sentimento de domingo desaparecendo
Para o resto dos meus domingos.

Dez mil reais

Esse quadro não vale tudo isso. É bonito, é expressivo, e eu gosto de arte moderna. Fora que você disse que o artista é consagrado, e eu acredito. Mas não é isso. É que com esse dinheiro a gente podia fugir daqui, ela pensou.

domingo, 15 de agosto de 2010

Nuvem Rosa

Tinha coisa ou outra que eu sabia que só você ia entender. Sempre teve. Quando todo mundo achava que eu era sabiá, só você, secretamente, sabia que eu era um bem-te-vi. Coisa minha e sua. Eu ia arrumar a sala caindo de sono, só porque você queria. Eu achava aquilo um saco, mas eu nem percebia, porque você estava feliz e eu achava que estava feliz também. Uma coisa meio louca mesmo, a gente confundir as almas. Ultimamente eu acho que você anda pensando que eu sou um sabiá, como todo mundo. A Nuvem Rosa sempre foi a nossa segunda casa, talvez você tenha esquecido o caminho.

Sobre as mariposas

Foi logo no começo da viagem que eu senti a mariposa pousando no meu peito. Eu senti, igualzinho aquele livro descrevia. Ela tinha as patas geladas, e me esfriou toda por dentro, lentamente. Passei o resto do caminho calada, com aquela mariposa ali. Eu achei incrível reconhecê-la, porque é raríssimo a gente se dar conta o momento exato que ela pousa. Ainda bem que ele espantou-a dali, com aquele jeito sutil, até um pouco doce, porque eu não sei se eu ia conseguir fazê-la sair sozinha. Aquele dia, naquela festa, eu não consegui. Ela deixou o meu peito todo manchado com aquele pó esquisito que as mariposas soltam. É complicado esse negócio de se magoar com alguém, é uma mariposa que pode nunca mais tirar as patas frias e sair voando. A gente tem que ficar atento pra não sair soltando mariposas nos peitos frágeis das pessoas.

A língua dele

-Você fala português? Ele me perguntou. Aquela foi a primeira coisa que ele me falou. Antes de qualquer outra coisa, foi o nosso primeiro contato. É claro que pareceria ridículo fora do contexto, mas o fato é que mesmo dentro do contexto foi ridículo. Se eu falo português... Isso é pergunta para se iniciar uma conversa?
Acontece que aquela foi a única coisa ridícula que ele me falou até hoje. Tudo que procedeu aquela pergunta foram as coisas mais interessantes que alguém já me falou.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Antídoto

É melhor que paremos logo com essa incompreensão toda, antes que ela se torne maior do que nós.

would you

-Would you ask me to stay?
-But what if you never leave?
-I have to leave.

Hora de dormir

Eu me recuso a dormir agora.
O dia virou noite e tudo ficou tão lindo.
Silencioso.
Ninguém me pede para ser nada,
ninguém sabe onde estou,
nem eu.
Não estou com saudade de nada.
Eu quero ficar acordada até que o mundo acorde,
e então eu quero dormir.

Marinheiros

Ela fez aquilo porque estava insatisfeita. E a insatisfação levou muitos homens a alto mar. Não estavam satisfeitos com o horizonte tão restrito. Ela também. O horizonte pode ser muito finito se você olhar com atenção. Acaba logo ali, no final de alguma coisa. Ela não queria que mais nada acabasse, por isso foi embora.

Sinopse

A idéia de que aquele mundo não era real foi implantada. E mesmo quando o mundo já era real, não lhe restavam alternativas a não ser acreditar em um mundo em outro lugar.

domingo, 8 de agosto de 2010

A água evaporou

Fácil era prender a respiração debaixo d'água
a gente brincava de aguentar
Soltar a respiração aqui em cima é difícil demais
eu mal aguento

Reparo

O esquecimento é concluído, quando se ouve Kings of Leon, e não é feita nenhuma associação.

Velório algures

-Shhh, silêncio.
-Por quê?
-Porque acaba de morrer alguém, neste instante, em algum lugar do mundo.

otherwise

So she made everyone think that she was making them happy, but in fact it was just otherwise.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

I'd be away


Caixa

Eu tento ser paciente
mas eu choro por dentro
eu quero gritar
me encaixar ali.
- Mas eu não me encaixo
a paciência transborda pra fora
derrama-se toda
e não há.
Você entende?
Eu não me encaixo.

rascunho

A cada segundo eu já não sinto mais o que eu sentia.
Eu invento um novo medo.
Cada medo engraçado que eu invento,
(e fico tremendo encolhida, tão tolinha).
Mas o que eu posso fazer,
se tudo que eu faço
são só coisas que eu poderia não ter feito.
Eu apaguei o que eu ia dizer,
isso aqui é só um rascunho de qualquer coisa que não importa.
O que importa mesmo eu não posso mostrar.
Você não iria entender.
Você e nem niguém.
Talvez um dia.
(olha aí, já estou com medo de novo.)

Suspire

Pedem que eu não me desespere, que eu suspire, que eu ande.
Mas eu me desespero mesmo assim.
É muito para mim: tudo acontecendo desse jeito, e eu aqui.

Mal tempo

Mal tenho tempo para ser quem eu queria ser.

O mundo tem tanto personagem

Ele demonstrou interesse logo de cara, chegou até a ficar desagradável se aproximando demais. Era um homem bonito, talvez um pouco meigo, ma...