domingo, 15 de agosto de 2010

Nuvem Rosa

Tinha coisa ou outra que eu sabia que só você ia entender. Sempre teve. Quando todo mundo achava que eu era sabiá, só você, secretamente, sabia que eu era um bem-te-vi. Coisa minha e sua. Eu ia arrumar a sala caindo de sono, só porque você queria. Eu achava aquilo um saco, mas eu nem percebia, porque você estava feliz e eu achava que estava feliz também. Uma coisa meio louca mesmo, a gente confundir as almas. Ultimamente eu acho que você anda pensando que eu sou um sabiá, como todo mundo. A Nuvem Rosa sempre foi a nossa segunda casa, talvez você tenha esquecido o caminho.

3 comentários:

Roderigo Torçop Orti disse...

Querida Clara,
Tenho uma ponta de inveja de você quando escreve, porque tudo virá poesia. Eu nunca poderia expressar tão lindamente esse assunto da confusão entre sabiá e bem-te-vi, até porque o único passarinho que eu conheço é o canário. Mesmo assim dos brancos e dos amarelos porque não sei reconhecer um canário marron. Olé!

Torço Mais Ainda disse...

Querido Roderigo
Torço por ti..., porque do jeito que vai, vai mal.Não saber reconhecer um canário marrom é demais!!!!!!!!!!!!!!

Maria Clara Moraes disse...

hashahahahahahHASHAHAHAHAHAHAHHAHA

Viela, montanha, isolamento

Por que desviei? Por que não observei, por que não ouvi o seu chamado? Em que viela, montanha, isolamento eu estava? Quando você apar...