domingo, 17 de julho de 2011

Adeus

Adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus, adeus.


É tão difícil assim de dizer, meu deus?

Pra ver se gasto as vírgulas

Esperando, sempre esperando.
Eu fico esperando você crescer mais um pouquinho,
eu fico esperando o sinal abrir,
eu acordar para a vida.
Acorda para a vida, alguém me diz aí de fora.
Mas o que isso quer dizer?
Eu estou dormindo?
Mas isso não me faria sonhar?
Eu já não sonho faz um tempo,
ou quando sonho é a gente se separando,
ou um barco partindo esquecendo de me levar junto,
é sempre algo assim.
Isso parece um desabafo, minha mãe vai pensar.
E talvez seja.
Essa espera me incomoda, me atrapalha,
e eu não sei o que fazer com ela.
Eu tão pouco sei o que fazer com tanta vírgula
,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
Elas não servem pra nada na vida real,
só no papel.
Deve ser por isso que eu escrevo tanto.

Três palavras

Eu não tenho mais coragem de dizer
Eu não vou mais dizer
Perdi as palavras, perdi a vontade
Eu perdi o que ia dizer
Não vou mais
Não me peça
Melhor manter segredo
Se eu disser
É capaz que tudo mude
Só porque eu disse.

A pior delas

Das tantas coisas em você que eu não gosto, a pior delas é o fato de que às vezes você não vem.

sábado, 9 de julho de 2011

Nothnagel

That last night you weren't there. I had so much fun, I danced, got drunk, laughed so hard and talked a lot, but you weren't there. I didn't know what had happened to you. By the end of the night, I was tired. It was raining a little and it was very cold. My house was the furthest from all. The guys asked me if I needed company to walk home. Of course I needed company, it was cold and raining and walking home alone can be sad. But I said no. I didn't want to give trouble to anyone. When I got home, I remembered that you would never let me walk alone at night, you would be there with me.
Cade a urgência que existia em você?

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Analista

Ele falou que eu tenho que ter paciência e jeitinho,
se não eu acabo atropelada por você e pelo meu acúmulo de silêncios.
Ele falou que acredita dessa vez.
Porque me conhece, sabe que eu vou embora antes do fim,
mas dessa vez ele acredita, não sei por quê
(na verdade eu sei, mas deixa pra lá).
Monalisa, o que você está pensando agora, ele pergunta.
E ele sabe que é em você, mas eu não digo.
Ele diz que eu preciso dizer tudo, porque ele nunca consegue adivinhar.
Você consegue?
Se fosse você ali sentado, no lugar dele, é capaz que eu não dissesse nada.
Você ficaria me olhando, eu olhando para o lado,
((silêncio))

Tonight

So many things I would have said
but words got in the way.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Omissão

Tem tanta coisa que eu não te conto
eu omito, silencio, te escondo
Para me defender
de você, tão inofensivo
Com tanto poder.
Começo a observar sozinha (porque ninguém consegue me acompanhar), que talvez estar perdida seja uma dádiva. 

Sonho de criança

Quando eu era um pouco mais nova, eu acreditava que, quando a gente pensava que um sonho não iria se realizar, é porque ele já estava se realizando, bem baixinho, bem escondido, sem que ninguém soubesse. Quando eu era mais nova eu acreditava em cada coisa engraçada.

O silêncio dos outros

Não sei e nunca soube direito o que fazer com o silêncio dos outros. Se eu dou aquela risada meio sem graça, se eu fico em silêncio também, se eu falo qualquer coisa, eu nunca sei. Depois de um tempo, talvez eu deveria ter aprendido que o silêncio é natural e provavelmente a hora mais sincera da conversa, mas eu não aprendi. Eu sinto a necessidade de preenchê-lo. Tantas vezes eu nem tenho o que dizer e digo algo completamente besta como: esse remédio tem gosto de chocolate. E aí a pessoa fica muda de novo, porque não sabe o que me responder. Eu tenho uma relação de desconfiança com o silêncio dos outros, uma relação difícil. Eu sempre acho que ele está me escondendo alguma coisa, que ele tem algo a dizer, mas se faz silêncio por algum motivo. Alguém me ensina a lidar com o silêncio dos outros? Eu acho até que sei como é que faz. Eu acho que é preciso colocar dois silêncios para conversar, em silêncio. E então, enquanto eles conversam, os olhos é que devem falar.

Em vão

Naquela noite eu decidi vestir minha camiseta branca com bolso, só que ela estava toda amassada. Eu nem cheguei a provar pra ver se ficava b...