segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Pra onde?

Para onde foi o meu peito 
com todos os meus sentimentos dentro? 
Talvez eu saiba, mas não posso falar, 
acho que faria a minha mãe chorar. 
O meu peito é tão brincalhão, 
poderia ter pregado uma peça.
Mas acho que não,
ele tinha um pouco de pressa.
Só sei que aqui ele não ficou,
só sei que as coisas que ele me levou,
são tudo que eu sou.

Tem o tamanho

Acho tão injusto 
cada minuto desses 
com dor no peito.
Como se a vida fosse terminar amanhã.
Mas ela não acaba nunca - e a gente sabe,
mas fica chorando como se fosse rápida, curta, única.
É nada.
A vida tem o tamanho 
de uma vida inteira.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Sobre a seca (hai kai)

Cai a chuva
em outro lugar
que não aqui.
Aqui fica a seca
que não cai
só fica.

Nesse planeta tão grande

Eu tenho o meu espaço em algum lugar de algum canto
Nem sei onde fica o lugar que eu fico 
Nesse planeta tão grande
Mas quem falou que eu me preocupo?
Algum lugar eu ocupo. 

Cazuza

Eu vou dar o meu desprezo
Pra você que me ensinou 
Que a tristeza é uma maneira
Da gente se salvar depois
Dói dentro de mim, um filho que não nasceu. E esse aqui nem vai nascer - porque é imaginação e uma coisa eu aprendi: a realidade é só o que eu posso tocar. Como essa coisa de sonho, essa coisa mesquinha que a gente faz só para satisfazer o nosso peito, que quer sempre chamar a nossa atenção.

Cruz + Espada

É tanta tristeza que eu vejo 
que eu já quase nem vejo mais.
É tanta saudade que eu sinto,
que eu só quero paz.
Mais nada, nada, nada.
O que mais eu poderia querer,
se estou entre a cruz e a espada?


Nadar

Faltam poucos dias para a China -
uma viagem até um outro continente -
mas em que continente afinal nós estamos?
Estamos juntos, aqui nesse planeta?
Estamos aqui, eu e você, em algum lugar.
Mas que lugar é esse? É distante esse lugar
- de quê?
E quando eu penso que tem muita terra ainda
- mas tem muito mais mar -
Eu tenho medo de me perder na água,
é tanta água nesse mar que tem na terra.
Muita água e eu não sei nadar.

Desloca

Tudo que provoca um pequeno deslocamento dentro da nossa cabeça, do nosso peito, dentro da gente - é para esses deslocamentos que a gente vive.

Trem para as estrelas

Essa música nasceu no mesmo ano que eu nasci: 
nascemos juntas, eu e a música. 
Mas eu não trouxe nenhum trem para as estrelas. 
Trouxe talvez o túnel, mas não sei se bom: 
sem luz no fim.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

De tão nada

Ai como me dói não ser nada,
todo dia não ser nada dói -
dói porque nada é tão pouco,
e nada é ainda menos.
Eu não sou nada, mas todo dia quero
ser mais um pouco.
E de pouco em pouco talvez eu possa ser
um pouco mais do que nada.
- mas, sabe, se um dia eu algo for,
é capaz que eu nem perceba.

Na cama

Quando você me perguntou,
eu tinha várias coisas pra dizer,
mas eu nunca sei como é que você vai ouvir.
Se eu disser o que eu sinto,
o que é que você pode dizer?
Tenho medo sim, medo sim, receio.
Tenho medo, medo, medo.
Mas e daí? Você nem repara se eu virar e dormir.
E fica tudo por isso mesmo.
E eu esqueço que tenho medo.
Medo, tenho medo sim, receio.
Medo, medo. medo.
E vamos dormir.

dizer sim

Não custa nada dizer 
um alô 
Só pra dizer se tá tudo em paz, tudo beleza
Me leva pra um restaurante
bacana, bonito
Me leva pra passear
num lugar tão delicado
que de repente eu posso gostar
e gostar, e gostar
e um dia eu posso dizer sim
e ficar.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Yusk Imai

He feels it.

Um recado da vida

Diga a ela que se não for agora não há outra hora.
Diga a ela isso e que eu não posso esperar.
Pra falar a verdade, só aqui entre nós,
- e que fique em segredo -
eu acho que já não dá mais tempo.

Saramago

Pode se morrer de pessimismo?
Pode se morrer de achar que não vai dar certo, que não vai melhorar?
Porque se puder é bem possível que Saramago tenha morrido disso.

Brilho eterno de uma mente sem lembranças

Eu acho que esse filme é sobre como não importa quantas vezes a gente esqueça, quantas vidas a gente viva, o quanto a gente apague o que viveu. Não importa quantas vezes. Vai vir um erro, um arrependimento, uma vontade de fugir - ou de apagar absolutamente tudo. Sempre vai vir, apagar não podemos, mas mesmo se pudéssemos, nada ia adiantar. Nada, meu amor, nada.

Um homem partido ao meio

Você é agora feito de esforço para se manter firme cansado mas forte com o som de pratos, talheres cheiro de alecrim sua presença tem d...