terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Dói dentro de mim, um filho que não nasceu. E esse aqui nem vai nascer - porque é imaginação e uma coisa eu aprendi: a realidade é só o que eu posso tocar. Como essa coisa de sonho, essa coisa mesquinha que a gente faz só para satisfazer o nosso peito, que quer sempre chamar a nossa atenção.

Nenhum comentário:

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...