segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Na cama

Quando você me perguntou,
eu tinha várias coisas pra dizer,
mas eu nunca sei como é que você vai ouvir.
Se eu disser o que eu sinto,
o que é que você pode dizer?
Tenho medo sim, medo sim, receio.
Tenho medo, medo, medo.
Mas e daí? Você nem repara se eu virar e dormir.
E fica tudo por isso mesmo.
E eu esqueço que tenho medo.
Medo, tenho medo sim, receio.
Medo, medo. medo.
E vamos dormir.

Nenhum comentário:

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...