sexta-feira, 11 de julho de 2008

Outra estação

Não era primavera e não havia flores pelo chão.
Não havia folhas secas para pisarmos fazendo barulho.
Não era primavera e não ficamos deitados na grama.
Não sentimos frio com o sol na cara, não vimos estrelas.
Talvez porque não era primavera.
Não deixei meu cheiro em seu travesseiro, e você não segurou minha mão.
Que estação era, eu não sei, mas não era primavera.
Porque você partiu, porque eu quis ficar.
Podia ser que você nem me notasse, porque não era primavera.
São poucas as estações, são poucos os dias, são poucas as pessoas.
Minhas palavras não foram poucas, mas não ficaram em você.
Caminharei por entre as árvores e vou lembrar daquela estação, mas haverá outra mão segurando a minha mão, sem que eu peça.
Eu bem que quis, eu até sorri.
Mas não pude ficar, porque eu não posso esperar até a primavera.


Um poema antigo, para uma primavera que nunca chegou.

3 comentários:

William Maia disse...

Pra vc que o ama: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/especial/fj1007200806.htm

Se não leu, acho que vai gostar.

Bianca BIH Bibiano disse...

acho incrivel como vc consegue fazer esses textos...não q vc não seja capaz, mas não transparece td isso.

e talvez por isso o texto seja tão bonito =]

bjkas

Pakelekiaaa disse...

é tão bom viver primaveras, que daqui pra frente vou desejar uma eterna pra voce!

Prazer, (voce ja sabe quem eu sou.. hehehe)
Só nao pude deixar de comentar porque vou gastar hooooooras dos meus dias lendo seus textos e quero que vc saiba disso. :)

Tambem quero te conhecer.. logo!

Meu beijo,
Paty

Disfunção

Esses dias eu descobri que tenho uma disfunção no cérebro. Fui diagnosticada por um médico. É mais ou menos assim: enquanto as coisas aconte...