domingo, 6 de abril de 2008

Um Poema Para o Nada

Já que o nada nada tem
Que nada lhe resta
Que nada tem a perder
Lhe dedico linhas
Lhe dedico tempos
-talvez apenas segundos,
Mas eu lhe dedico.
Porque um dia nada tive
Porque um dia eu hei de perder tudo também.
Porque entre uma coisa e outra, existe nada.
Porque tudo surge
Do nada.

Nenhum comentário:

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...