terça-feira, 8 de abril de 2008

Sem todas as lutas
De cada dia
De cada palavra
Do ar que entra
Do mar que vai
Vão-se os dias
Em vãos momentos.

Nenhum comentário:

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...