terça-feira, 8 de abril de 2008

Mesmo na razão


A poesia está nas suas mãos, no suor do fim do dia, nas covinhas do seu filho. E talvez você não tenha filhos, o dia esteja frio e não haja suor. Mas o seu olhar triste no espelho, o gosto doce da fruta, o sol de inverno são poesias. Você é todo feito de poesia. Mesmo na razão dos seus projetos, na certeza que você tem de tudo, na raiva do passado: é poesia. Você é. Porque sente a vida transbordando nas suas mãos, porque sabe onde está agora, porque tudo é feito de desejos, de amor e de incerteza. Você não manda nos seus desejos, você não manda no rumo do destino, tudo pode dar errado e derrubar a sua razão em um segundo: e isso é a poesia da vida.
Para M.

Nenhum comentário:

Viela, montanha, isolamento

Por que desviei? Por que não observei, por que não ouvi o seu chamado? Em que viela, montanha, isolamento eu estava? Quando você apar...