domingo, 24 de novembro de 2013

sonho

Meu pai veio me dizer que o meu sonho era um pouco caro e um pouco difícil, não tira o foco do trabalho, filha. Como se eu não soubesse já. Como se eu não tivesse arrastado esse sonho na garganta por vinte e seis anos e cinco meses. Mas tudo bem, é só mais uma montanha que eu vou precisar escalar, depois do meu trabalho me obrigar a adiar e adiar mais o meu sonho. Porque é assim mesmo. Todo sonho que se preza tem que ser difícil, impossível e quase sempre a gente desiste. Eu penso todo dia em desistir, porque eu não sou forte pra aguentar um sonho ridículo desse nas costas, mas eu sempre quero tentar mais um pouquinho, mais umas semanas, mais uns meses. Pode ser até que eu acabe pensando em não desistir, pelo menos um dia. Esse dia vai ser bom. No dia seguinte a vida real volta a me atormentar, e o sonho volta a ser só sonho.

Um comentário:

Anônimo disse...

O pai não disse que o sonho é um pouco caro, nem para não tirar o foco do trabalho. O pai não disse nada disso. O pai disse que é muito, muito bom, a gente ter um sonho e que é sensacional poder ir atras dele. Só é preciso manter o empreguinho com cuidado para ir se aguentando. O sonho não tem prazo, o pai disse. Pode virar realidade hoje, amanhã ou depois de amanhã. O importante é que o sonho vire realidade.O pai não disse que o sonho é caro e nem para não tirar o foco do trabalho. Não disse.

Lixo

As pessoas acham poesia uma coisa tão babaca sem propósito lixo Eu faço poesia na minha cabeça enquanto observo as pessoas Enfio a mã...