quinta-feira, 23 de agosto de 2012

30 de julho de 1914

Ricardo tinha dedos grossos.
E foram aqueles mesmos dedos que desfizeram o nó.
Era um nó apertado, mas foi desfeito.
O nó que amarrava a venda nos olhos de Natalia.
Natalia passou a ver o rio (e não só ouví-lo de longe).
Ela nunca mais foi a mesma. 
Ricardo tinha dedos grossos,
mas era o homem mais doce que Natalia já conheceu.

Nenhum comentário:

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...