domingo, 15 de maio de 2011

Eu, agora, sem você

é tão estranho pensar que eu poderia ser eu, agora, sem você. Quem seria eu, agora, sem você? Eu seria mais vazia, menos perdida? Eu seria eu, mas diferente. Não sei quanto, mas eu seria uma eu com alguma coisa a menos lá dentro, com uma luz apagada. Eu fico imaginando que eu, agora, sem você, talvez seria um túnel desses que passa debaixo de um rio. Mas um túnel sem fim, sem uma luz no fim do túnel.

Um comentário:

Anônimo disse...

Me imagine sem você.

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...