segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Lá dentro

A minha cólica e a dor no peito vão passar.
A chuva vai passar.
O tempo, a vida, os homens,
o ferro e a fome.
A vontade de qualquer coisa vai passar.
Todo mundo que vier,
todo mundo que me fizer chorar,
ou não fizer nada.
Não adianta dizer que não.
O infinito vai passar, eu prometo.
É assim, e não há deus que negue.
O que não passa
(e contra isso não há remédio)
é a solidão.
O peito, ele é solitário.
Pode enchê-lo de mesquinharias,
de segredos, de saudades, de pessoas,
ele é só ele.
E quando tudo der errado,
e se tudo der certo
e se nada acontecer além das coisas,
o peito é sozinho lá dentro.
E isso não vai passar.

Um comentário:

Felipe Sanches disse...

"Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!"

- Mário Quintana

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...