terça-feira, 16 de novembro de 2010

Quando acaba

Já não me assusta a falta de você,
eu me acostumo aos poucos.
Todo dia é um dia a menos,
e eu espero o dia ser inteiro,
sem parar para começar outro.
A sua falta só acaba,
quando eu deito no seu ombro
e vejo o tempo passar.
Me assusta ver que acaba,
mas quando acaba,
eu já estou preparada:
porque eu sei que o dia vai voltar.

Nenhum comentário:

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...