domingo, 30 de maio de 2010

Quase parando

Eu já não acredito mais nessa intensidade toda, nessa pressa, essa urgência. Elas são de uma triste efemeridade, ninguém sabe ao certo por que isso acontece se não é feito para durar, não assim. Quando caem as pétalas de uma flor, eu nem pergunto nada, isso pode acontecer. Vai entender a lógica desse quebra-cabeça... Eu não tento mais entender, pra mim tanto faz. Só estou fazendo a minha parte para que você me acerte. Devagar, quase parando.

Um comentário:

por Vivian Reis disse...

Sem expectativas, sem ansiedade, devagar - é mesmo mais saudável. É amadurecimento, Clarita! :)
Ms será q a gente consegue agir assim e, ao mesmo tempo, manter o brilho nos olhos?
Amadurecimento implica em desilusão?
É preciso encontrar o eqüilíbrio.

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...