domingo, 9 de agosto de 2009

Ampulheta de nós dois


Tudo que você diz guarda uma despedida triste. Mas só eu posso ouvir o adeus de cada palavra sua. Você tem um jeito manso de dizer que o mundo está desmoronando. E eu, secretamente, às vezes desejo que ele desmorone logo. Que tudo recomece com outro começo. E você sabe o que eu queria que mudasse, mas você, secretamente, não sabe se também queria recomeçar. A gente sorri para toda essa areia caindo na ampulheta, porque somos tão tolos... Mal sabemos que o mundo está prestes a rachar ao meio, e que cada um de nós vai ficar de um lado.

3 comentários:

Denise disse...

Porque as vezes o que era pra ser cumplice ,toma direções opostas?
é tão dificil encontrar o caminho de volta.

Espero que hajam pontes.
beijo
Denise

Jow disse...

pqp
me viciei no seu blog!

Tamiris disse...

Nunca sabemos o caminho certo... Tenho que caminhar, caminhar e caminhar... ate esquecer, ou ate reviver td novamente...

Parabens pelo fragmento, mto lindo...

bjim, e bom fds

Viela, montanha, isolamento

Por que desviei? Por que não observei, por que não ouvi o seu chamado? Em que viela, montanha, isolamento eu estava? Quando você apar...