sábado, 31 de maio de 2008

A pintura que se desfez na chuva

Gotas que chegaram transparentes e caíram.
Pingaram no quadro pendurado do lado de fora.
Estragaram a pintura, desfizeram as cores.
Tornaram-se cores molhadas.
As cores emprestaram seus vários tons para a chuva.
A chuva ficou azul, amarela, vermelha, cor-de-rosa.
Era tudo um ensopado de cores pingando.
O quadro agora desfeito, a pintura agora inexistente.
Tudo seria tristeza,
Se não fosse a alegria da chuva, de ficar colorida.

5 comentários:

Vivi Hogan disse...

Lindas palavras, linda metáfora.
A arte é plurisignificativa, ntão, não sei se depreendi do texto, a mesma sensação q vc teve ao escrever, mas acho q a vida é exatamente assim.
Sempre existe a possibilidade d chegar uma chuva e destruir um belo quadro. Mas o fundamental é a gente procurar enxergar por uma outra ótica... Buscar o lado positivo do acontecimento.
Importante é se abrir pra enxergar as novas cores q se formam.

NANDA MAGALHÃES disse...

Nossa, adorei sua versão do escorpião! acho que a sua quer dizer que temos que aceitar as diferenças né?

essa sua foto me deu uma vontade de pintar! sabe oq eu comprei ontem? ontem não, sabádo? argila!! imagina oq não é bom!! ahhahahaha!!

saudadeees de vc!!

NANDA MAGALHÃES disse...

ps2: por que a lunática da namorada do meu ex de 9 mil anos atraz não me esquece e agora a nova moda dela é inspecionar meu blog e deixar recados "delicados" ahahahahahhahah!!

depois de conto! unf!

Marina disse...

Pode chover o quanto for, meu mundo nunca vai ficar cinza enquanto eu tiver você comigo.
Essa é daquelas que me fazem voltar pra ler nos momentos de tristeza. Linda.

sarah germano disse...

gosto muito do jeito que vc escreve menina.
parabéns!

Viela, montanha, isolamento

Por que desviei? Por que não observei, por que não ouvi o seu chamado? Em que viela, montanha, isolamento eu estava? Quando você apar...