domingo, 6 de abril de 2008

Retratos


Acho que eu entendi onde, dentro da gente,
Ficam as lembranças todas.
Aquelas histórias todas que arrepiam só a gente.
As fotos que ninguém vê de verdade.
(Os outros só procuram as belezas ali nos dentes.
Enquanto isso a gente consegue ouvir as risadas ridículas de todo mundo que tava ali naquela hora. A gente consegue sentir o bafo da pessoa que nos abraça na foto. Consegue sentir o friozinho de fim de tarde que tava ali na hora
E as outras pessoas não sabem de nada.
Não lêem nada daquilo. Não sentem o cheiro de piscina ou churrasco...)
E eu acho que entendi onde ficam aquelas lembranças todas das fotos:
Elas ficam em como a gente é.
Em como a gente lida com as coisas
Na nossa (im)paciência, na nossa raiva ou alegria constante,
Ficam no modo como pegamos o lápis para escrever
No modo como falamos com nossos pais,
Como corremos dos nossos medos...
As lembranças se tornam pedaços de quem somos.

Um comentário:

NANDA MAGALHÃES disse...

..claire! ta irado! demais! eu amei! e você me surpreendeu muito, eu nao sabia que você escrevia assim tao lindo, assim tao sensivel!
amei esse "retratos" mais de todos! achei fato o que vc escreveu!

LARGA TUDO E VAI SER JORNALISTA OU ENTREVISTADORA OU ESCRITORA! PRONTO!
HEHE!

TE ADORO MUITO! BEIJOS, NAN!

Uel

Não me lembro em que momento eu te achei mais interessante abri a porta e me deparei com aquele bigode estranho mas o seu abraço ...