domingo, 7 de dezembro de 2014

Virada (a la Arnaldo Antunes)

O bebê vira homem. A larva vira borboleta. A semente vira árvore. A cápsula vira café. O pó vira suco. A página vira livro. O livro vira biblioteca. O filho vira pai. A mãe vira avó. A tela vira quadro. A nota vira música. O milho vira pipoca. O pixel vira filme. O beijo vira sexo. O choro vira riso. A noite vira dia. O minuto vira hora. O hoje vira ontem. A palavra vira livro. A gota vira mar. A dor vira cócegas. Tudo nessa vida vira outra coisa e eu ando pensando se não é minha hora de já ter virado alguma coisa. 

3 comentários:

Anônimo disse...

Amo você

Cotia disse...

Lindo. Simplesmente lindo!

MiuqaoJ Dopra (Anuibi) disse...

Lindo !!!!

Não se esqueça, entretanto, que
Certas verdades viram mentiras,
Certos risos viram choros,
Certos gatos viram ratos,
e que tambem:
Certas tristezas viram alegrias,
Certas mentiras viram verdades,
Certos ratos viram gatos.
Portanto,
às vezes é melhor virar devagar.

Lixo

As pessoas acham poesia uma coisa tão babaca sem propósito lixo Eu faço poesia na minha cabeça enquanto observo as pessoas Enfio a mã...