terça-feira, 18 de novembro de 2014

Três cores

Ultimamente tenho pensado em me desculpar
por ser sempre tão eu - esse rascunho de algo bom.
Você sabe como são rascunhos, 
ainda mais quando são feitos à lápis
e com tanta gente com borracha nas mãos.
Queria te dar uma única borracha, 
para que só você pudesse me apagar de vez em quando.
Entendo tão bem quando você reclama,
mas eu não consigo me consertar.
Fico pensando se esse meu rascunho vai poder lhe servir
talvez para a vida toda,
ou se ainda preciso mesmo ser passada a limpo.
Porque eu não sei se vai existir ainda uma versão melhor de mim
ou se serei sempre esse rascunho de três cores. 

Um comentário:

Anônimo disse...

Amo sua versão rascunho

Lixo

As pessoas acham poesia uma coisa tão babaca sem propósito lixo Eu faço poesia na minha cabeça enquanto observo as pessoas Enfio a mã...