sexta-feira, 9 de maio de 2014

Me desculpe, noite

Me desculpe, noite, se eu a insultei sujando o seu silêncio com o barulho das teclas.

Nenhum comentário:

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...