segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Triste assim

A minha tristeza é suave, quase doce. Eu sorrio tão levemente, parece verdade. Eu entro e saio sem ninguém saber que sou triste. Ninguém. Eu passo entre as pernas, entre as mesas e entre os pensamentos de alguém tão rápido que é como se eu nunca tivesse passado. Eu não tenho passado muito. Também não tenho muito passado. O presente quando demais quase esconde o passado. Mas também, quem mandou estar aqui. Quem mandou passar por aqui a essa hora. Não adianta reclamar, chorar para os santos, não há nada que te faça outra. Essa aqui é você, triste assim.

2 comentários:

Anônimo disse...

Como você escreve lindo!

Anônimo disse...

Como você escreve lindo!

Lixo

As pessoas acham poesia uma coisa tão babaca sem propósito lixo Eu faço poesia na minha cabeça enquanto observo as pessoas Enfio a mã...