quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Sonho

A sua mãe tocava pra você essa música no piano e eu ouço essa música como se eu estivesse ouvindo a vovó. Eu vejo a vovó sentadinha no piano, pequenininha como eu a imagino. Ela me vê descendo a escada, sorri e continua tocando. Não sei qual é o número desse noturno, mas é um dos mais lindos do Chopin. Tenho vontade de chorar olhando a vovó tocar. Eu me sento do lado dela e espero ela terminar a música pra abraçá-la, temos tanta coisa pra falar uma com a outra. Tem tanta coisa que eu quero saber do papai, coisas que eu quero que ela me conte como foi a versão dela. Tem tanta coisa! Será que ela continua sarcástica? Será que ela vai me fazer rir? Imagino que ela vai ficar falando do Pradão entre uma piada e outra. Quero tanto saber o que ela acha de mim! Somos parecidas, vovó? O papai vai dar gargalhadas quando eu contar pra ele que encontrei a vovó tocando piano! Mas aí a música acaba. A vovó levanta, beija a minha testa e vai embora, toda feliz.

2 comentários:

Quinzinho disse...

Lágrimas. Minhas lágrimas salgadas escorreram e o meu peito apertou. Lembrei-me da minha velha querida, do noturno número 2 e das boas risadas, mas ao final vieram lágrimas.
Maria Clara de onde sai a sua inspiração? De onde saem essas palavras que entram na gente e, lá nas profundezas da alma, suscitam emoções que ao final viram lágrimas?
Por favor não pare de escrever. Pode transbordar um rio de lágrimas sem medo.

cotia disse...

Chorei de lindo!

Lixo

As pessoas acham poesia uma coisa tão babaca sem propósito lixo Eu faço poesia na minha cabeça enquanto observo as pessoas Enfio a mã...