sexta-feira, 22 de junho de 2012

Pouco tempo

Eu lembrei de você hoje. Depois de tanto tempo, os meus pensamentos evocaram o seu jeito de fazer piadas, as coisas todas que você tinha tanto prazer em me ensinar, a sua impaciência de às vezes, tanta coisa. Tanta coisa. Foi pouco tempo, mas hoje eu disse que é difícil se desvincular de pessoas depois de muito tempo com elas, porque elas ficam marcadas em todas as coisas, em todos os sons, em tudo. Alguém então me respondeu que o tempo nessas horas não faz tanta diferença, porque às vezes ficar pouquíssimo tempo com uma pessoa pode ser tão difícil quanto um tempão. Quatro meses. Eu acho que foram quatro meses. Eu nunca mais me esqueci das coisas que você me ensinou. Mas sabe, a única coisa que eu me perguntei hoje foi se você, neste momento, estaria cuidando de mim, enxugando as minhas lágrimas, me dando um abraço, daqueles que você não gostava de dar. Porque eu estou tão sozinha. Tão sozinha, sabe? Igual a você, na última vez que eu te vi.

2 comentários:

Anônimo disse...

O meu abraço espera você.

Anônimo disse...

Pq vc nao procura ele? Assim ele sabe que ele é ele.

Um homem partido ao meio

Você é agora feito de esforço para se manter firme cansado mas forte com o som de pratos, talheres cheiro de alecrim sua presença tem d...