terça-feira, 27 de setembro de 2011

O efeito porta-retrato

Não queria aquilo para mim. Nunca quis, nunca vou querer. Quase fui embora, eu já estava com as malas prontas dentro da minha cabeça. Chorei porque eu ia ter que me despedir, eu ia ter que dizer que estava indo embora. É difícil essa parte, por isso eu chorei. Mas eu resolvi ficar. Ainda não sei se fiz bem, se foi uma escolha certa, mas não vai ser difícil de saber. Sei que aquele porta-retratos não causa mais o mesmo efeito. Eu chegava no meu quarto suspirando, ia dormir suspirando. Sei que eventualmente os suspiros acabam, mas algum efeito ele ainda deveria causar. Não causa mais. Às vezes eu olho com dúvidas, às vezes com um aperto estranho. Eu já cheguei a pensar que aquele porta-retratos poderia ficar vazio. Esse pensamento me dói, mas tem coisas que me doem mais, você mesmo já me doeu mais.

Um comentário:

Anônimo disse...

Estou enganado, ou você está repensando?

Disfunção

Esses dias eu descobri que tenho uma disfunção no cérebro. Fui diagnosticada por um médico. É mais ou menos assim: enquanto as coisas aconte...