quarta-feira, 22 de junho de 2011

Talvez a última

Eu aqui sentada, ouvindo a noite, os relógios da casa e os grilos, eu tenho tanto medo. Tem tanta coisa ali fora e eu não sei de nada. Como posso saber se tomei decisões certas, se até mesmo estar aqui é uma decisão? Talvez a mais importante de todas, talvez a mais triste, talvez a última.

Nenhum comentário:

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...