domingo, 10 de abril de 2011

Frio de princesa

Ele falou que eu sou uma princesa. E explicou, de todos os jeitos, por quê eu sou uma princesa. Estamos tão longe de casa, de tudo que nos é comum e normal, que ele realmente acredita nisso, e eu acreditei nele. E, de repente, senti um frio na barriga que eu conheço tão bem: é saudade do meu príncipe.

Um comentário:

Anônimo disse...

Quem dera fosse eu!

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...