terça-feira, 30 de novembro de 2010

Nem por acaso

Discutindo aquela bobagem,
eu quis fugir,
levando tudo,
e jogando tudo fora.
Pra me esquecer
que um dia fui sua
toda sua, por inteiro.
E eu sou de esquecer?
E eu sou sua toda hora
e não me esqueço,
nem por acaso.

Nenhum comentário:

poetinha

poetinha desligado  lê poesia pra mim tira soneca na rede anda descalço o que vai ter pra comer no café da manhã essa sereia ta...