sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Poeira

E quando a poeira baixa,
e eu vejo melhor os meus pés
e eu vejo onde estou
aonde vou
e eu vejo o horizonte
eu paro, eu não quero continuar.
Eu quero que a poeira levante de novo.

Nenhum comentário:

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...