quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Minha vida dividida

Eu não sei o que será de mim quando eu tiver que dividir a minha cama com um homem, todos os dias. Fico pensando se eu serei capaz de dividir a minha vida. Ela é tão escassa, tão pouca, mal dá para eu viver. O que será dos meus pensamentos se eu tiver de compartilhá-los todo tempo? O que será dos meus silêncios? E se eles forem mal interpretados? Eu não consigo explicar todos os meus silêncios. São tantos, eles fazem parte do que eu sou. Eu sou feita de silêncios e algumas palavras entre eles. O que vai ser da minha vida, dividida ao meio? Vai sobrar um pouco para existir por aí, sem ser de ninguém?

4 comentários:

Felipe Sanches disse...

"O otimista erra tanto quanto o pessimista, mas não sofre por antecipação".

-Fernando Sabino

Anônimo disse...

O amor acrescenta, não divide...

Paula Bernardi disse...

"Eu não consigo explicar todos os meus silêncios" - tão, tão, tão dificeis de explicar que nem eu entendo os meus às vezes..

Muja disse...

Vida dividida não se multiplica?

Viela, montanha, isolamento

Por que desviei? Por que não observei, por que não ouvi o seu chamado? Em que viela, montanha, isolamento eu estava? Quando você apar...