segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Se eu te chamasse pelo nome

Você aparecer no meu sonho,
eu não posso impedir.
Eu só não vou acordar querendo te ver, não mais.
Podemos estar submersos, podemos estar de mãos dadas.
Eu não vou acordar
querendo entrar no mar de mãos dadas com você,
não mais.
Você pode até me abraçar mais forte,
como eu sei que você tentou da última vez,
mas eu não vou sentir o seu abraço quando eu acordar.
Não, não, nunca mais.
O que hoje é sonho, já foi um dia real.
Acontece que agora os sonhos
são só o que são: sonhos - E você não é mais o que eu vejo.
Eu não tenho mais nada para você.
Tudo que eu tinha já foi recolhido,
muito bem recolhido.
Agora eu não preciso mais de sonhos,
tenho abraços que são bem reais.

Um comentário:

Anônimo disse...

São reais mas não são os meus...

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...