sábado, 21 de novembro de 2009

A próxima

Ela não sabia se falava logo tchau, ou se pedia para ele. Então pediu. Não me deixe sozinha hoje, por favor, eu não quero. Ele fez aquele sorriso didático que lhe é de costume e respondeu. Você não tem medo, né. Claro que não, só não quero. Ele continuou dirigindo, e disse desinteressado: não sei. Pode ser que dentro dele, ele quisesse abraçá-la e protegê-la, do jeito que ela gosta e ele sabe. Mas não foi isso que ele mostrou. Ele só disse não sei. Então, quando chegaram na casa dela, ele achou aquilo uma bobagem e disse: fica para a próxima. E deixou ela sozinha. Na próxima, ela pensou, eu não vou pedir para você ficar comigo, eu vou querer ficar sozinha, porque você me ensinou. E ela foi dormir, no silêncio da noite.

3 comentários:

Priscila Rôde disse...

"Sorriso didático."
Gostei disso! rs
Aprender a ficar sozinha, foi dificil mas eu também consegui.. rs

felipe sanches disse...

Perto do osso a carne é mais gostosa (Paulo Leminski)

sossegue coração
ainda não é agora
a confusão prossegue
sonhos afora

calma calma
logo mais a gente goza
perto do osso
a carne é mais gostosa.

Ibere disse...

vixe...acho que já tive no lugar dele!!! talvez eu seja meio zuado?!

Disfunção

Esses dias eu descobri que tenho uma disfunção no cérebro. Fui diagnosticada por um médico. É mais ou menos assim: enquanto as coisas aconte...