sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Freud, me explica?

Tantas foram as vezes que eu olhei a sua foto,
Que já decorei todos os seus contornos,
Sei desenhar o seu sorriso igualzinho está no retrato.
Gostava muito de olhar você congelado naquele instante.
Hoje eu não gostei.
Hoje eu, de repente, esqueci os seus traços,
Não soube desenhar.
Mas o mais estranho disso tudo foi
Que naquela foto tão antiga de você,
Fui olhar hoje de novo,
E o seu sorriso não estava mais lá.

3 comentários:

Sarah Germano disse...

lindo lindo lindo

Tamiris disse...

Olá...

Lindo...Me desculpe, mas terei que publica-lo no meu blog, com os devidos creditos seus...

Chorei, lendo, ao imaginar uma cena que tento com todas as minhas forças esquecer, e que a cada dia se torna mais dificil...

Bjos, e um otimo fds

estcin disse...

Cada vez melhor,Maria Clara!Lindo mesmo.Acredito que o tempo tem esse poder de modificar o nosso olhar sobre determinadas pessoas.Em algum momento da vida cansamos de amar quem,no fundo,não existe mais.Abs.

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...