segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Pouca noite

Foi estranho. Estranho mesmo. Eu olhei para a janela do carro e comecei a achar tudo um pouco diferente do que era antes. E a noite não tem culpa, eu é que não consigo dormir: são muitos sonhos para pouca noite.

Um comentário:

Marina Maciel disse...

Eu me sinto assim todas as noites. Se me demoro muito em pensamentos, paro e penso "O que diabos estou fazendo com a minha vida?"

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...