quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Cheiro errado


Não gosto do cheiro da sua chegada: é cheiro de despedida.
Sabe cheiro de quem vai embora?
Espero que o seu perfume abafe esse cheiro que me arde,
espero que minhas narinas estejam erradas,
espero que o mundo inteiro reinvente o cheiro das coisas.
Não quero mais que esse seja o seu cheiro: eu quero que você fique.

2 comentários:

Cordélia Brasil disse...

Gosto do cheiro de carne assada que me entra pelas narinas, segue pelas entranhas a ronca de saudades da última vez que vi umprato de carne assada.
Não quero reinventar nada,mas não gosto do cheiro de peixe estragado, sobretudo se for sardinha. Sardinhas são as mais fedidas. Amén.

Yuri Felix disse...

Sou fiel ao cheiro da amada, um cheiro que nada mais tem. Talvez uma rosa molhada. Ahhh... O cheiro só me faz bem...

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...