sexta-feira, 17 de julho de 2009

Cazuza cantava:

"Que coincidência é o amor, a nossa música nunca mais tocou"

E eu escrevo:

Que coincidência é a vida, eu nunca mais vi você

Nenhum comentário:

seu peito

seu aperto no meu corpo seu cheiro de cigarro suas poesias  repetidas seu repertório de canções suas piadas praça é nossa ...