segunda-feira, 12 de maio de 2008

É tudo de mar

Pra quê perder o riso,
Perder a graça,
Pra quê perder-se sem saber?
É tudo chão, é tudo de mar.
Os risos são de graça,
E o tempo é de perdão.
Não há dor que se deixe levar,
Sem os risos que sempre virão.

Para Marina

3 comentários:

disse...

"É bom...
Às vezes se perder
Sem ter porque
Sem ter razão
É um dom...
Saber envaidecer
Por si
Saber mudar de tom"

Adeus voce
Marcelo Camelo

Marina disse...

Meu amorzinho...você sabe que essa poesia tocou no fundo, bem no fundo, me fez repensar em tantas coisas. E é sempre assim, sempre que estou triste, vou até seu blog (antes era no fotolog) e fuço, fuço até achar algo que toque minha alma, como essa poesia o fez. Suas palavras estão todas guardadas aqui comigo, para sempre. Obrigada por me ensinar tantas coisas, por se preocupar em escrever e dedicar a mim, pois você não faz idéia do quanto isso é importante.
Amo você, beeem lá do fundo do coração.

Felipe Rubia disse...

você só gosta de publicar poemas?
bjos

Disfunção

Esses dias eu descobri que tenho uma disfunção no cérebro. Fui diagnosticada por um médico. É mais ou menos assim: enquanto as coisas aconte...