segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

De amor

Não sei o que fazer com essa carta de amor
escrevi há tantos anos
para alguém que eu nem sei.
Se eu colocar em uma garrafa,
e jogar no rio Tietê,
vai ser só mais uma poluição,
em um rio imundo...
Posso deixar na sua portaria,
mas você nem deve mais morar lá,
faz tanto tempo...
Não sei nem se você ainda vai aos mesmos lugares,
não posso deixar naquele bar...
O que fazer de uma carta de amor,
de um amor que não existe mais?

Um comentário:

Graça Pereira disse...

Lança a garrafa no mar onde a água é mais livre e chega a todos os pontos do globo...quem sabe, se um dia, um principe apaixonado não te responde?
Tenta.
Beijos e Feliz Natal!
Graça

Censura

Se escrevo essa poesia agora é porque ainda ninguém me parou ela só está neste pedaço de papel porque ninguém o encontrou e picotou. Se...